Games de futebol e a Champions League

Quem curte games e futebol já conhece os dois melhores jogos focados no esporte: FIFA e Pro Evolution Soccer, o PES.

O FIFA International Soccer, a EA games, é relativamente novo. A primeira versão foi lançada em julho de 1993. O PES, da Konami, é muito mais antigo: é a evolução dos jogos de futebol da desenvolvedora, que começaram a ser produzidos na década de 80.

Alguns preferem o PES. Outros, não trocam o FIFA pelo rival de jeito nenhum! E ainda há quem jogue os dois. Afinal, porque perder a oportunidade de ser uma estrela do futebol em dois jogos diferentes?

Futebol nos games

A história do futebol os games começou no Japão, em 1973. A empresa Taito, um dos nomes de maior peso no mundo dos brinquedos eletrônicos, lançou o primeiro jogo centrado no esporte nesse ano.

Num arroubo criativo, a empresa chamou o jogo de Soccer (futebol, para os americanos). Soccer era um arcade, conhecido por aqui como fliperama. Você chegou a jogar em uma máquina dessas?

Logicamente, o jogo de então não tinha nada a ver com os que existem hoje em dia. O jogador só movimentava o atacante e o goleiro, e podia controlar a velocidade e direção do chute.

Já nos anos 80, com a chegada do console ATARI, a evolução foi notável. O ATARI Soccer, lançado em 1980 e o Pelé’s Soccer, de 1982, já tinham maior jogabilidade e gráficos bem caprichados. Vale comentar que o Pelé foi o primeiro garoto-propaganda dos games de futebol, um prestígio só.

De fato, os anos 80 marcaram a história dos videogames, e do futebol neles. O console Commodore 64 também ganhou seu jogo exclusivo em 1984, o World Cup. Esse, foi o primeiro a ter como evento central a Copa do Mundo.

A Konami, desenvolvedora do PES, lançou seu primeiro título em 1985: o Konami’s Soccer. Desenvolvido só para rodar em MDX – o computador da Microsoft naquela época- o game é ainda lembrado por quem o curtiu por uma razão, no mínimo, curiosa: Todos os jogadores tinham um bigodão.

Mais para a frente, já em 1989, o Sega Soccer (para Mega Drive e Master System) fez a cabeça dos gamers. Esses foi o primeiro jogo que permitia a seleção do time, o controle do goleiro, a mudança de posição da câmera quando a bola era chutada em direção ao gol e as animações de comemoração quando a bola balançava a rede. Um clássico!

Anos 90: EA Games e Konami dominam

Na década de 90, começou a briga de gente grande.

Com o lançamento do primeiro jogo da franquia FIFA, em 1993, a EA Games entrou na parada pela porta da frente.

O FIFA 94 foi um lançamento surpreendente para a época. Ele foi o primeiro jogo de futebol a ter licença oficial da entidade mundial do futebol. Com alta jogabilidade e gráficos bonitos – sempre pensando que nos anos 90 o melhor que havia eram os 16 bits, O FIFA 94 era baseado nas eliminatórias da Copa do Mundo de 1994.

Mas a Konami não aceitou ficar para trás. Menos de um ano depois, em 1994, mandou ver com o melhor game de futebol 2D de todos os tempos: O International Superstar Soccer. Revolucionário, o game tinha narração e já dava para reconhecer os jogadores pelo rosto. Uma beleza!

O game não podia utilizar nomes de jogadores reais, pois não tinha licenciamento da entidade que representa os jogadores profissionais. Assim, nasceu uma estrela inesquecível: o jogador Allejo, o melhor e mais difícil de comprar no jogo. Até hoje há quem pense que ele existiu de verdade, tamanha sua fama.

Games de futebol e a Champions League

Games de futebol e a Champions League

Já nos anos 2000, com o surgimento da Playstation, o game favorito era da Konami: Winning Eleven, o “pai” do PES. A EA até tinha gráficos melhores, ao menos durante um tempo, mas a jogabilidade não era nada boa, o que a deixou fora da briga.

No meio da década, em 2005, a EA decidiu contra-atacar. O FIFA 10, focado na simulação de partidas reais, conquistou a liderança do mercado no mundo.

A Konami percebeu que havia perdido o mercado pela falta de inovação, e correu atrás. Durante os anos seguintes o PES ganhou gráficos mais bonitos, novos dribles, controle total com passes manuais e estava novamente na crista da onda.

Champions League nos games

A Champions entrou nos videogames em 2009 pelas mãos – ou pés – da Konami. A simulação do grande evento, com uns gráficos bonitos e excelente jogabilidade fizeram sucesso.

A parceria foi muito produtiva, até o PES 2018.  Depois de tantos anos como detentora da exclusividade, a Konami não conseguiu renovar o contrato com a UEFA e a versão 2019 saiu bem diferente das anteriores.

Mesmo conseguindo licenciar todos os times da série A do Campeonato Brasileiro, e até ligas menores como Portugal e Argentina, sem grandes campeonatos internacionais do naipe da Champions e outros, o jogo caiu em desgraça entre os gamers. Conseguir jogar uma partida online é complicado, o processo de match leva muito tempo, quando é bem-sucedido.

O FIFA, apesar de não ter nenhum dos times top do Brasil, conquistou a primeira posição na preferência gamer. Ainda que as reclamações sobre a queda no ritmo em relação à versão anterior sejam frequentes, o jogo tem se mostrado muito mais atrativo que o rival.

Com várias modalidades – tanto para quem joga solo quanto para quem joga online, trouxe também o arremate calibrado, a necessidade de técnica para montar o time e, claro, a Champions League!

A história da briga entre EA e Konami ainda vai ter mais episódios. O último trimestre do ano trará com ele as novas versões de ambos jogos e veremos as surpresas que ambas produtoras tem guardadas.

Marcações: